Blog

Obras de construção da Unidade Básica de Saúde do bairro Getat seguem a todo vapor, em Açailândia

21:59

As obras de construção do Posto de Saúde do bairro Getat, em Açailândia, seguem a todo vapor. Dezenas de homens estão trabalhando diariamente para concluir a unidade básica de saúde - UBS. O Posto de Saúde está sendo construído em um terreno ao lado da escola Jurgleide Alves Sampaio, pois em 05 de maio de 2015 foi derrubado, após a Justiça determinar reintegração de posse, durante o governo da ex-
prefeita Gleide Santos que havia pego um terreno particular para construir a UBS (foto ao lado).

Sobre isso a Prefeitura Municipal esclareceu que não possuía mais terrenos próprios no referido bairro e que sua mudança de bairro deixaria a população do Getat desassistida. O prédio está orçado em R$ 600.000.00, (seiscentos mil reais), o mesmo valor entregue para a ex-prefeita Gleide Santos, que não executou a obra. 

Atualmente o local cumpre a Lei Federal que determina a divulgação de dados detalhados da obra, o prazo de entrega é de 180 dias.

Aécio Neves segue "ferrando" o PSDB...

10:32

O Senador Aécio Neves, salvo pelo gongo, com 44 votos a seu favor no Senado para que não fosse afastado, em uma decisão em que mais pesou a sobrevivência política pessoal de cada um, segue "ferrando" a imagem do partido PSDB no País. 

O partido tem obtido rejeição recorde por parte dos eleitores, fruto do fato de mesmo licenciado Aécio Neves continuar na presidência do partido. A cúpula nacional já sabe que é inviável e que o partido já se expôs demais, mas Aécio segue irredutível e o PSDB pagando o preço de antes visto como maior simbolo de oposição contra a corrupção e agora como apenas mais um partido fisiológico, voltado para seus próprios interesses pessoais. 

Surto de meningite em Imperatriz é descartado pela Secretaria de Saúde

17:01

A Secretaria Municipal de Saúde descarta qualquer possibilidade de disseminação de meningite em Imperatriz. A preocupação foi levantada depois que uma técnica de enfermagem da rede de saúde mental faleceu no último domingo (15), por meningite pneumocócica.
A Semus ressalta que o quadro da paciente era complexo devido à baixa imunidade, uma vez que a mesma era hipertensa, diabética, não tinha o baço, sofria de problemas renais e fazia dieta sem orientação profissional, com período estendido de jejum.
Após sintomas de gripe e cansaço, a mulher estava se automedicando até que a família a convenceu que procurasse um pronto socorro.
Ressalta ainda que a meningite contraída pela técnica não foi por contágio através de nenhum outro paciente atendido em seu local de trabalho, e que o atendimento foi priorizado desde a confirmação do diagnóstico.
Por medida de prevenção, ressalta ainda que todos os profissionais e pacientes atendidos no CAPS III já receberam a medicação profilática, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde.
*Via Imirante

Tasso Jereissati defende que Aécio renuncie à presidência do PSDB

16:53

Um dia depois de o plenário do Senado ter decido devolver o mandato parlamentar de Aécio Neves (PSDB-MG), o senador Tasso Jereissati (CE) , presidente interino do PSDB, defendeu que o mineiro renuncie à presidência do partido.

"Acho que ele não tem condições, dentro da circunstância que está, de ficar como presidente do partido. E nós precisamos ter uma solução definitiva e não provisória", disse Tasso ao chegar ao Senado na manhã de hoje (18).

Tasso, que ocupa interinamente a presidência da sigla desde que Aécio passou a ser investigado com base nas delações premiadas dos executivos da JBS, acrescentou que ainda não conversou com o colega tucano sobre o assunto, o que deve ocorrer até o fim da tarde de hoje.

Sobre a decisão do plenário do Senado de ontem, Jereissati avaliou que o resultado está sendo mal interpretado. “A decisão de ontem foi a decisão da maioria e eu acho que é mal interpretada. No meu entender é dar ao senador Aécio o que ele não teve até agora, que foi o direito de defesa . Aqui, no próprio Senado, ele vai ter o Conselho de Ética onde ele vai ter que se defender e ao mesmo tempo o julgamento no Supremo continua”, lembrou ao ressaltar que, na Justiça, Aécio terá o direito de apresentar sua defesa que é o desejado do partido.

Aécio tinha sido afastado do mandato parlamentar por medida cautelar determinada pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). O colegiado também havia imposto o recolhimento noturno e a entrega do passpaorte. No entanto, ontem, o plenário do Senado decidiu, por 44 votos a 26, suspender os efeitos da decisão da Corte.

Conselho de Ética
Pela segunda vez este ano, Aécio é alvo de uma representação no Conselho de Ética da Casa, por quebra de decoro parlamentar. Essa representação, apresentada em setembro pelo PT, ainda não foi analisada pelo colegiado. Em julho, Aécio teve um pedido de cassação, movido pela Rede, arquivado.

Salvo! Senado derruba afastamento parlamentar de Aécio Neves imposto pelo STF

01:05

O plenário do Senado decidiu reverter a decisão da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) e, com isso, pôs fim ao afastamento parlamentar do senador Aécio Neves (PSDB-MG), que havia sido imposto pelos ministros da Corte no último dia 26.
Com os votos de 44 senadores contra a manutenção das medidas cautelares e de 26 favoráveis, os parlamentares impediram o afastamento de Aécio, o seu recolhimento domiciliar noturno e reverteram a obrigação de entregar o passaporte. Não foram registradas abstenções.

A votação ocorre após a maioria dos ministros do STF decidir, na semana passada, que o tribunal não pode afastar parlamentares por meio de medidas cautelares sem o aval do Congresso Nacional. No fim de setembro, a Primeira Turma da Corte havia decidido, por 3 votos a 2, afastar Aécio do exercício do mandato ao analisar pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) no inquérito em que o tucano foi denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça, com base nas delações premiadas dos executivos da J&F.

Debate
Antes de abrir o painel para a votação, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), concedeu a palavra para cinco senadores favoráveis e cinco contrários à decisão do Supremo. Para Jader Barbalho (PMDB-PA), os ministros do STF tomaram uma decisão "equivocada". "Não venho a esta tribuna dizer que meu voto será por mera solidariedade ao senador Aécio. Com todo respeito a ele, estou longe de aceitar sua procuração ou sua causa. Não estou nesta tribuna anunciando voto em razão do que envolve o senador. Voto em favor da Constituição. Ministro do Supremo não é legislador, não é poder constituinte. Quem escreve a Constituição é quem tem mandato popular", argumentou.

Já o senador Álvaro Dias (Pode-PR) criticou o que classificou de “impasse” surgido a partir do instituto do foro privilegiado. “A decisão do Supremo Tribunal Federal, corroborada pelo Senado, vem na contramão da aspiração dos brasileiros, que é de eliminar os privilégios. Nós estamos alimentando-os. Não votamos contra o senador, votamos em respeito à independência dos Poderes, em respeito a quem compete a última palavra em matéria de aplicação e interpretação da Constituição, que é o Supremo Tribunal Federal”, disse.

Antes da votação, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), que visitou Aécio nesta terça-feira (17), também defendeu o parlamentar mineiro. "A votação hoje é muito além do caso do senador Aécio, a situação dele terá seguimento no STF, qualquer que seja o resultado. Algumas pessoas imaginam que ele foi julgado hoje em definitivo. Ele continuará sua jurisdição na Suprema Corte. Não há que se falar em impunidade. Isso até é um desrespeito à Suprema Corte. Os ministros do STF vão, a partir dos autos do processo, se isso virar um processo, porque estamos na fase de inquérito, absolver ou condená-lo, de acordo com as provas que tiver nos autos desse processo", disse.

Mais cedo, o PT havia anunciado voto contrário a Aécio. Antes, havia se posicionado defendendo que o Legislativo tem o poder de revisar medidas cautelares impostas pelo Supremo.

Sob comando do Vereador Ceará, Câmara Municipal de Açailândia já "torrou" cinco milhões do dinheiro público

13:01

Sob o comando do Vereador Josibeliano Chagas Farias, do PTdoB, mas conhecido popularmente por "Ceará", que tem a presidência da Câmara Municipal de Açailândia nas mãos, o Poder Legislativo Municipal, composto por 17 membros, já torrou R$ 5.090.219.04 (cinco milhões, noventa mil, 219 reais e quatro centavos). 

Isso é o que está empenhado de 01 de 01 de 2017 (janeiro) até 15 do 10 de 2017 (outubro), ou seja em menos de um ano o presidente Ceará já pagou R$ 4.875.180.73 (quatro milhões, oitocentos e setenta e cinco mil, cento e oitenta reais e setenta e três centavos), inacreditável para quem conhece as estrutura da Câmara Municipal de Açailândia, que mais recentemente passa por uma mísera reforma que se resume a quebra de antigas rampas em uma alegada midiática tentativa de inclusão social, para além disso somente uma tinta de baixa qualidade do ponto de vista moderno.

Os dados são públicos e foram obtidos pelo Blog Maicon Sousa através do portal da transparência meia boca da Câmara Municipal, que inclusive até o último levantamento do Tribunal de Contas do Estado - TCE, em julho, estava irregular e consta até agora desta forma no sistema. O Blog agora cobrará por meio da lei de acesso a informação no que exatamente foram aplicados estes cinco milhões de reais. 

O maior problema é que no nebuloso Portal não contém quanto resta para pagar. Ou seja, quando se quer saber disso a opção selecionada responde apenas que "Não Foram encontradas despesas na opção selecionada". Quanto será? Abre o olho Ministério Público.