Onda crescente de assaltos e roubos assusta população de Açailândia

13:09

Os cidadãos de bem da cidade de Açailândia vão ficando a cada dia mais reféns da criminalidade, a onda crescente de assaltos e roubos tem assustado a população da cidade. São arrombamentos a empresas, roubo de motos e assaltos. Obviamente as motos roubadas são destinadas a utilização como transporte para as ações criminosas, quando não recuperadas pela a Polícia a tempo, vendidas ou seguem para o desmanche.

Ainda nesta sexta feira uma moto Triton vermelha de placa NXG-3541 foi tomada de assalto na ladeira da Vila Capeloza. Na semana passada, uma Broz foi tomada de assalto na Praça da Bíblia, sabe-se de vários assaltos no Pequiá e Vila Ildemar realizados com uma broz.

Na noite desta sexta feira, no bairro Laranjeiras - Rua Tiradentes, duas mulheres tiveram seus celulares roubados por dois indivíduos em uma moto Pop Branca. A culpa não é da Polícia, na verdade fazem o que pode com as condições de trabalho que lhe são oferecidas. 

Exemplo, o pátio do Quartel da 5ª Companhia Independente da Polícia Militar está lotado de viaturas sucateadas, como beneficiaria a população e a corporação que todos aqueles veículos estivessem em bom estado de uso. Tal lástima é fruto dos anos de abandono por parte do Governo do Estado. 

A culpa em si é da Justiça, um parêntese tem que ser aberto para explicar o seguinte: a Polícia prende, entrega para o Delegado, que leva a Justiça. Com base em vários trechos da lei, como por exemplo, se o indivíduo é réu primário entre outros artifícios, logo o assaltante está na rua novamente. 

Não faltam casos em que os Policiais prendem um assaltante e ao puxar a ficha na Delegância, descobre-se que o elemento já tinha passagem, as vezes várias. Quem rouba o cidadão de bem, coloca o dedo na cara e chama de vagabundo, isto quando vai embora sem roubar também a vida, passa no máximo 10 meses atrás das grades.

Tem caso de assaltante que o Juiz manda buscar em casa com mandado de prisão, que depois o advogado utiliza-se dos artifícios da lei, e em uma semana o elemento volta as ruas. Tá em casa, chega o amigo de moto e chama para mais um assalto...começa de novo o ciclo, e no meio disto, está eu e você, torcendo para não ser a próxima vítima.

Leia Também:

0 comentários