Empresa Vale é acusada de mais um calote milionário e deixar funcionários e fornecedores sem pagamento

19:48

A gigante empresa Vale está sendo acusada de quebrar mais uma empresa devido um
calote milionário. Assim como a Empresa Maranhense WO que quebrou após fechar negócios milionários com a Vale, que não cumpriu o acordo, agora a vítima da vez é a Empresa Integral Engenharia.

A Integral Engenharia estava até dezembro de 2016 responsável pelo projeto de expansão da ferrovia Carajás nas proximidades da cidade de Cidelândia. Mas desde o fim do ano passado, a empresa fechou as portas e deixou fornecedores de máquinas e funcionários totalmente desamparados, sem receber o dinheiro devido. 

Os fornecedores acusam a Empresa Vale de até o momento não ter se quer recebido eles para conversar. Já a Empresa Integral Engenharia está com os salários dos funcionários atrasados, muitos deles moram pagando aluguel e alguns já declaram está passando fome.

Na manhã desta quinta feira, 02, os fornecedores e funcionários se reuniram em frente a sede da Empresa Integral Engenharia, em Vila Nova dos Martírios, para cobrar seus devidos pagamentos. 

Para que a terceirizada não retire sua estrutura e simplesmente vá embora, após calote, deixando os fornecedores e funcionários desamparados, as portas foram bloqueadas com tratores e caçambas (foto ao lado).

Ainda na manhã desta quarta feira durante a manifestação, a Empresa Vale conseguiu, na Justiça, uma liminar para intimidar os fornecedores e funcionários, que estipula a multa diária de 1 mil reais caso bloquem a ferrovia. Curiosamente, o oficial de Justiça que estava de posse da liminar, foi levado ao local por motoristas da Vale.

Ao ser questionado porque chegou para notificar os protestantes contra a Vale em um carro da Empresa, o oficial de Justiça somente respondeu que "o carro oficial da Justiça está quebrado". Após pressão da Imprensa que se encontrava no local, o mesmo foi embora em uma das viaturas da Polícia Militar que faziam a segurança.

O curioso é que a Liminar prever punição para o bloqueio da ferrovia, quando não houve protesto na ferrovia, mas sim em frente a sede da Integral Engenharia. Durante o protesto de fornecedores e funcionários, nenhum responsável da Empresa Vale ou da Integral Engenharia apareceu no local.

Os fornecedores e funcionários afirmam que seguirão protestando e cobrando seus salários atrasados e afirmam que a Vale tem conhecimento desde o ano passado dos atrasos, acusam também a Vale de que enquanto tinha interesse na realização da obra, buscar alternativas para convence-los a continuar trabalhando, mas que agora com o fim da obra restou somente o calote milionário.

As Empresas foram procuradas para se manifestar, mas até a publicação desta matéria, não haviam encaminhado quaisquer esclarecimentos.

Leia Também:

0 comentários