2018 já começou...

01:46

Aliança PCdoB e PSDB está cada vez mais impossível de se repetir em 2018
As articulações da classe política para as eleições 2018 já começaram e estão a todo vapor. A nível de Estado é dada como certa a saída do PSDB da aliança com o PCdoB, do Governador Flávio. O PSDB tem o vice-governador Carlos Brandão, mas a executiva nacional pretende que a aliança de 2014 não se repita.

O fato do Governador Flávio Dino ter defendido a ex-presidente Dilma com total garra durante o processo do Impeachment, deixou as lideranças nacionais do PSDB totalmente descontentes e querem que no Estado o partido siga caminho próprio. Carlos Brandão ainda tenta contornar a situação, mas a avaliação de 90% dos tucanos maranhenses é de que o PSDB está fora da chapa Dino 2018.

Com isso os demais partidos que compõem a base de sustentação do governo já começam a se articular para ficar com a vaga de vice. É o caso do PDT, de Weverton Rocha que tem o nome do prefeito da Capital São Luis, Edvaldo Holanda Junior, para indicar. Também do PT, esse que conta com o Deputado Estadual Zé Inácio, que não tem demonstrado cacife para concorrer na vaga, por tanto, a sigla não possui nome de peso para indicar, mas está na briga.

E também no páreo está o PSB, que tem o nome do prefeito de Timon, Luciano Leitoa para indicar. Nessa hipótese, Luciano Leitoa deixaria o comando da prefeitura nas mãos do vice, João Rodolfo, do PCdoB, estaria tudo em casa. Haveria também o nome do atual presidente da Federação dos Municípios Maranhenses, o prefeito de Tuntum, Cleomar Tema. Nessas condições, os socialistas já imaginam a saída do Senador Roberto Rocha do partido, para possivelmente ser candidato a Governador. 

Falando nos candidatos a Governador, Flávio Dino deverá ter uma re-eleição tranquila. É o que parece ser até o momento, visto que não á no Maranhão uma figura central da oposição que rivalize diretamente com o governador para aglutinar em torno de si aqueles que rejeitam o governo comunista. Roseana Sarney até agora não se manifestou, e pode ser que se trate de estratégia do tipo não colocar a "cara pra bater" antecipadamente, desta forma Flávio Dino agora começa avançar sobre a classe política, e depois pode ser tarde demais.

As demais figuras do PMDB de Sarney que não fosse Roseana, não possuem forças suficientes para tornar o pleito eletrizante. 

Quanto a Roberto Rocha ser candidato a Governador, suas chances são poucas. Basta acompanhar a repercussão das criticas do Senador ao Governador Flávio Dino nas redes sociais, os internautas inundam suas redes sociais com fortes criticas o taxando inclusive de traidor, uma vez que o mesmo se elegeu para o Senado na chapa de Dino em 2014.

Volto ao assunto em breve, desta vez falando sobre os deputados estaduais que devem se re-eleger, os que devem buscar voos mais altos se candidatando a Deputado Federal. E ainda abordarei as eleições 2018 a nível de política local. 

Aguardem!

Leia Também:

0 comentários